45 anos – Dulcinéa Machado

Dulcinéa Machado

“Desde o início, o Pentágono tem apresentado um percurso de inovação, atento, sempre, às necessidades de uma sociedade em transformação.

Na década de 1970, por exemplo, as mulheres começaram a ingressar no mundo do trabalho, o que, aliado à complexidade da cidade de São Paulo, tornou ainda mais difícil a atividade do “leva e traz” dos filhos para atividades complementares da educação.

Em 1984, passei a fazer parte da equipe técnico-pedagógica e percebemos o desafio. Organizamos um programa para que os alunos de 3 a 10 anos pudessem ficar no colégio em período integral, mesmo que, para isso, significativas mudanças estruturais fossem necessárias.

Lembro-me de nosso cuidado em garantir que as refeições realizadas nesse novo espaço fossem acolhedoras. A primeira mudança foi a montagem de um refeitório. Atentos à alimentação saudável e adequada para as crianças e as professoras que as acompanhariam durante as refeições e as atividades, contratamos uma nutricionista, que organizou o cardápio.

Nossa escola é um espaço coletivo e nossa opção sempre foi a de valorizar a convivência nesse quesito, sem perder o olhar individual para o nosso aluno. E, cuidando disso, vencido o primeiro desafio, passamos para o próximo: estruturar a grade a ser oferecida para os alunos do Ensino Fundamental I para conciliar o trabalho (fazer as lições de casa e estudar), a faixa etária e o esporte. Conforme a idade, interesse ou desempenho, cada grupo podia escolher entre natação, vôlei, futebol, basquete, patinação, recreação, dança, xadrez, culinária e arte. São experiências de sucesso que trago nesses anos de Pentágono.

A proposta do integral perdura até hoje! Os pais podem complementar a formação de seus filhos no espaço do colégio!

Mas aquele primeiro desafio não foi o único. Recentemente, o Colégio Pentágono se defrontou com novas necessidades também impostas pela vida moderna, e conjugadas com as características da cidade de São Paulo: o aluno pré-adolescente e adolescente precisava continuar no colégio para fazer as suas lições e as atividades complementares, o que nos levou a organizar um novo formato do programa para atender aos mais velhos, do EF2 e EM.

Montamos salas de estudos com horário ampliado e disponibilizamos monitores para orientar os alunos. Nesse novo formato, os alunos poderiam compor a sua agenda para estudar, bem como para participar de várias atividades opcionais.

A frequência se tornou intensa, pois os alunos faziam as lições, estudavam e podiam tirar as dúvidas. Essa nova ordem levou o colégio a oferecer a todos os alunos a mesma possibilidade de estudar no espaço da escola, bem como complementar a sua formação.

Nos meus 30 e poucos anos de Pentágono, tenho muito do que me orgulhar por proporcionar à nossa comunidade a excelência somada à boa convivência e à parceria! E comemoro os 45 anos do Colégio Pentágono pelo cuidado com a qualidade da aprendizagem e o apoio na construção dos valores e da ética.”

Dulcinéa Machado, diretora da Unidade Perdizes.