Dica de Leitura – Setembro/2016

G5

É um livro
Autor: Lane Smith
Editora: Companhia das letrinhas, 2010

Com a invenção dos e-books e a proposta de revolução que trazem consigo, surgem inúmeras dúvidas a respeito do futuro do livro.Muitos aproveitam essa onda para reafirmar seu amor às letras impressas em papel, e dizem que o livro é uma espécie de deus grego: não morre nunca. Sem enveredar pelas malhas da vidência, mas deixando claro que um livro é um livro e isso basta, Lane Smith criou uma história ilustrada, tanto para crianças quanto para adultos, sobre o nosso velho e bom – e amado – livro. Aquele que, ao contrário dos produtos eletrônicos, não apita, não interage, não conecta, nem ‘retuita’. Mas que, só pela emoção da narrativa e das imagens, prende a atenção (e ainda rouba o coração) de qualquer um.

Por que ler para o seu filho?

Este livro foi recomendado pelo Plano Nacional de Leitura e é excelente para mostrar a importância dos livros mediante este mundo tecnológico que vivemos. Uma verdadeira reflexão sobre como a informação era passada há muitos anos e de que forma é feita atualmente.

Para complementar a leitura e enriquecer o conhecimento, uma visita a uma biblioteca para conhecer o acervo, inclusive enciclopédias, permanecerá na memória de pais e filhos para sempre.

Assista à animação do livro no link: https://www.youtube.com/watch?v=Xi5WBikkY1c


4º ano

Lá vem história outra vez: contos do folclore mundial.
Autor: Heloisa Prieto
Editora: Companhia das Letrinhas

O que será que tem dentro do cofre do sábio? Qual é a mensagem secreta dos papagaios? Quem é o ser humano mais inteligente do mundo? As respostas podem estar num conto do Himalaia, numa fábula persa ou numa singela história africana. Com narrativas, esse é um livro básico para a formação de jovens leitores, pois, como Heloisa Prieto escreve na introdução, “nossas histórias preferidas sempre falam de nossos maiores segredos, as emoções mais verdadeiras de nossas vidas, os grandes sonhos e esperanças”.

Por que ler para seu filho?

Além de ser um livro de contos tradicionais de diversas culturas, aborda temas de valores e é enriquecido pela variedade de gêneros. Como os textos são curtos, é excelente para ler um conto por noite e conhecer os costumes de outros países.


Ensino Médio e Adulto

O caçador de pipas
Autores: Khaled Hosseini
Editora: Ed. Nova Fronteira, 2005

Este é um romance emocionante, envolvente, que nos cativa logo nas primeiras páginas. Livro de estreia de Khaled Hosseini, O Caçador de Pipas é uma narrativa insólita e eloquente sobre a frágil relação entre pais e filhos, entre os seres humanos e seus deuses, entre os homens e sua pátria. Uma história de amizade e traição, que nos leva dos últimos dias da monarquia do Afeganistão às atrocidades de hoje. Amir e Hassan cresceram juntos, exatamente como seus pais. Apesar de serem de etnias, sociedades e religiões diferentes, Amir e Hassan tiveram uma infância em comum, com brincadeiras, filmes e personagens.

Uma história de amizade e traição, que nos leva dos últimos dias da monarquia do Afeganistão às atrocidades de hoje. Amir e Hassan cresceram juntos, exatamente como seus pais. Apesar de serem de etnias, sociedades e religiões diferentes, Amir e Hassan tiveram uma infância em comum, com brincadeiras, filmes e personagens. O laço que os une é muito forte: mamaram o mesmo leite e, apenas depois de muitos anos, Amir pôde sentir o poder dessa relação. Ele nunca foi o mais bravo ou nobre, ao contrário de Hassan, conhecido por sua coragem e dignidade. Hassan, que não sabia ler nem escrever, era muitas vezes o mais sábio, com uma aguda percepção dos acontecimentos e dos sentimentos das pessoas. E foi ele quem decidiu que Amir seria, durante a batalha da pipa azul, uma pipa que mudaria o destino de todos. No inverno de 1975, Hassan deu a Amir a chance de ser um grande homem, de alterar sua trajetória e se livrar daquele enjoo que sempre o acompanhava, a náusea que denunciava sua covardia. Muito depois de desperdiçada a última chance, Hassan, a calça de veludo cotelê marrom e a pipa azul o fizeram voltar ao Afeganistão, não mais àquele que abandonara há vinte anos, mas ao Afeganistão oprimido e destruído pelo regime Talibã. Amir precisava se redimir daquele que foi o maior engano de sua vida, daquele dia em que o inverno foi mais cruel. O romance, que já vendeu mais de dois milhões de exemplares só nos EUA, está há um ano nas listas de mais vendidos do mercado americano e europeu e já é considerado o maior sucesso da literatura mundial dos últimos tempos.