45 anos – Geraldo Barbosa

Geraldo Barbosa

“Iniciei minha vida no Pentágono em agosto de 1978, como professor substituto, na unidade Homem de Mello – quando ainda era Pentágono Escola Atualizada. E, acreditem, havia ao lado da quadra de esportes uma Jabuticabeira que, na época fértil, era a alegria dos alunos: tinha de parar a aula para pegar jabuticabas!

Em 1979, assumi as aulas de Educação Física do Infantil até o Ginásio (como eram chamados os segmentos na época), na Homem de Melo e, também, na Bartira. Trabalhei na Itapicuru, na Caiubi, na Avenida Europa, na Cidade Jardim e no Morumbi, portanto, passei por quase todas as unidades.

Em 1981, fui promovido a diretor de Esporte e me orgulho de ter sido um dos pioneiros a montar a Escola de Esporte em um colégio em São Paulo.

Na época, trabalhava no E.C. Pinheiros e visualizei a oportunidade de trazer as escolinhas de clube para dentro do colégio. Graças à confiança que me foi depositada pela mantenedora, consegui colocar minhas ideias em prática e a Escola de Esporte existe até hoje, sendo um dos marcos da minha passagem pelo Pentágono.

As participações em vários torneios e campeonatos fizeram do Pentágono um colégio respeitado no meio esportivo estudantil. Além disso, serviu de espelho para que outros colégios iniciassem as suas Escolinhas de Esporte.

Sei da minha importância na vida de muitos alunos e, ainda hoje, tenho vários deles como amigos no Face. Até o ano passado, recebi, por diversas vezes, a visita de ex-alunos, que vinham bater papo e relembrar as nossas peripécias esportivas.

Enfim, tive uma vida intensa no Pentágono, afinal, foram 37 anos de lutas, mudanças, pressão, tristezas e alegrias.

Agradeço, sem citar nomes, a todos os diretores, coordenadores, professores, funcionários e, em especial, ao pessoal do Esporte, com quem convivi por todos estes anos e que sempre foram meus fiéis escudeiros, colaborando com o meu trabalho e fazendo com que o Pentágono tivesse uma das melhores escolas de esportes de São Paulo.

Queria agradecer, também, de todo o coração, a confiança que recebi desde o início, das irmãs Nancy, Suely e Tanya, e do inesquecível Jorginho, meu parceiro de conversa, que, por muitas vezes, me auxiliou, interferindo junto à Nancy para que ela autorizasse a execução de minhas ideias (que,para ela, eram malucas, mas o tempo veio provar que eu tinha razão).

Ainda continuo com raízes no colégio: tenho um neto na Bartira e uma neta na Caiubi. Portanto, acompanharei o desenvolvimento dos dois no Pentágono por um bom tempo.
Resposta a alguns pais que vieram perguntar como eu me sentia saindo do Pentágono: ‘Saí do Pentágono, mas o Pentágono não sai de mim'”.

Geraldo Barbosa, ex-coordenador da Escola de Esportes e Cultura da Unidade Perdizes.