Dica de Leitura – Abril 2017

Educação Infantil Até 6 anos

Não é uma caixa
Autor: Antoinette Portis
Editora: Editora Cosac Naify, 2012

Neste livro, um coelho muito criativo transforma uma caixa de papelão em uma infinidade de objetos que o transportam para vários lugares e situações inusitadas. Enquanto isso, é indagado o tempo todo por alguém que não consegue partilhar de seu mundo de fantasia e não entende por que o coelho insiste em fazer coisas com a tal caixa.
Entre carros de corrida, montes, robôs, balões, navios e piratas, o coelho tenta mostrar que não está brincando com uma caixa. Eu disse uma caixa?! Não! Não é uma caixa!

Por que ler para seu filho?

O livro Não é uma caixa, traz a tona dois universos muitas vezes distintos, a infância inundada pela imaginação e o mundo sério da maturidade realista.Uma caixa pode ser mil e uma coisas, se usarmos a imaginação! Quem nunca brincou com uma?

Passeando pelas páginas desse livro, pais e filhos poderão mergulhar nesse oceano de possibilidades, onde os dois mundos se encontram e se divertir juntos! Bestseller do New York Times e Publishers Weekly, este livro recebeu inúmeros prêmios tais como Melhor livro ilustrado pelo New York Times, livro de honra Theodor Seuss Geisel e Notable Children’s Book da American Library Association.


Ensino Fundamental I

A fada que tinha ideias
Autor: Fernanda Lopes de Almeida
Editora: Ática, 2007

Clara Luz é uma pequena fada aprendiz que deveria seguir as lições do “Livro das Fadas”. A pequena fada acha o livro muito entediante e quer fazer coisas novas, suas próprias mágicas, quer praticar e não ficar somente na teoria. Sua mãe fica desesperada, pois Clara Luz tem muitas ideias que geralmente acabam em confusão.
A pequena fada é muito criativa e questionadora, quer modificar o mundo atual das fadas, mas se a Rainha descobrir que ela não segue o livro e ainda faz suas próprias mágicas…
O que será que irá acontecer?

Por que ler para o seu filho?

A história é bem antiga (1971), porém já marcou a infância de milhares de crianças. É premiado e até virou peça de teatro. Traz de maneira clara uma lição para crianças, jovens e adultos; nos ajuda a repensar nossa visão de mundo.

Importante conversar com as crianças sobre atitudes desafiadoras e questionadoras, porém sem reprimi-los e privá-los de suas ideias, criatividade, invenções, que segundo a pequena fada, quando inventamos algo, o mundo anda. Acharmos um meio termo seria o ideal. Fazer as coisas de um jeito diferente em busca de conhecimento e saber, hoje em dia é muito valorizado.


Ensino Fundamental II

O fazedor de velhos
Autor: Rodrigo Lacerda
Editora: Companhia das Letras, 2017.

Rodrigo Lacerda narra neste livro a passagem de Pedro para a vida adulta. O adolescente descobre que a vida pode não ser tão doce quanto a primeira paixão, e encontra na literatura um caminho para buscar suas respostas. Mas o que torna O Fazedor de Velhos uma novidade do gênero é sua capacidade de reavivar a ternura e o afeto como sentimentos que também participam do processo de amadurecimento. Neste romance de iniciação, Rodrigo traça o retrato de um artista quando jovem. O personagem Pedro tem dúvidas sobre seus caminhos, o que o leva a pensar em desistir da faculdade de História. Eis que conhece Nabuco, um professor que o auxilia na difícil tarefa de se colocar no mundo. E por meio dos livros conhecerá a si mesmo. Sobretudo quando aparece Mayumi, por quem sentirá uma nova forma de amor.

 


Ensino Médio

Hamlet ou Amleto? Shakespeare para jovens curiosos e adultos preguiçosos.
Autor: Rodrigo Lacerda.
Editora: Zahar, 2017.

Um guia que conduz o leitor numa jornada irresistível pelo universo shakespeariano e por um dos textos mais importantes e centrais do teatro e da nossa cultura. O premiado escritor Rodrigo Lacerda não apenas reconta a história do príncipe Hamlet, tal qual Shakespeare a escreveu, mas põe o jovem leitor curioso (e também o adulto preguiçoso) em contato direto com a força de sua poesia dramática. Muito mais que uma simples adaptação, o que temos é, de fato, um guia para Hamlet, a partir do texto integral. O autor apresenta o original de Shakespeare – informando, comentando e mergulhando em todas as referências sobre cada ato e cena da peça – e o costura com a sua própria narrativa moderna e em linguagem contemporânea da história do príncipe dinamarquês. Como diz Luis Fernando Verissimo no texto de quarta capa, “o que o Rodrigo fez não foi Shakespeare para os simples, foi ajudar a vencer os obstáculos e ir direto ao inesquecível, o fantástico e o poético. Hamlet depurado, um atalho para o encantamento”. Ao final, o livro traz um apêndice com três breves seções onde Lacerda indica e lista: “Hamlets que li”, “Hamlets que vi” e os “Elogios, críticas, paródias e anedotas sobre Hamlet”.


Para os Pais

Para educar crianças feministas: um manifesto.
Autor: Chimamanda Ngozi Adichie.
Tradução: Denise Bottmann
Editora: Companhia das Letras, 2017.

Após o enorme sucesso de Sejamos todos feministas, Chimamanda Ngozi Adichie retoma o tema da igualdade de gêneros neste manifesto com quinze sugestões de como criar filhos dentro de uma perspectiva feminista. Escrito no formato de uma carta da autora a uma amiga que acaba de se tornar mãe de uma menina, Para educar crianças feministas traz conselhos simples e precisos de como oferecer uma formação igualitária a todas as crianças, o que se inicia pela justa distribuição de tarefas entre pais e mães. E é por isso que este breve manifesto pode ser lido igualmente por homens e mulheres, pais de meninas e meninos. Partindo de sua experiência pessoal para mostrar o longo caminho que ainda temos a percorrer, Adichie oferece uma leitura essencial para quem deseja preparar seus filhos para o mundo contemporâneo e contribuir para uma sociedade mais justa.