A primavera e as flores comestíveis

 

Você sabia que, com a chegada da primavera, temos flores que são adequadas para o consumo? Isso mesmo, flores comestíveis.

As flores comestíveis têm sido usadas na culinária de diversos países, tendo, hoje em dia, o seu uso despertado a atenção com o intuito de melhorar a aparência, o sabor e o valor estético de pratos.

Talvez você ainda não tenha percebido, mas há flores que já consumimos e que, muitas vezes, confundimos com legumes, que é o caso da alcachofra, da couve-flor e do brócolis.

Algumas flores, que são comestíveis, a gente até tem nos jardins e nos vasos, como:

Rosas: desta, provavelmente, você já sabia ou já ouviu falar, pois está relativamente popularizada e é utilizada em chás. Elas conferem um sabor doce e agradável. Usada, também, para enfeitar doces e pratos salgados.

A Capuchinha: também chamada de cinco-chagas, dela são utilizadas não só as pétalas, como as folhas e as sementes, para decorar e para o consumo. Tem um sabor levemente picante, devido a um composto sulfurado. Combina muito com saladas.

Amor-perfeito: utilizada para a decoração de pratos. Consumida muito na China em forma de chá, tem propriedades diuréticas. Sua textura é aveludada e o sabor refrescante, levemente adocicado.

Hibisco: esta é a mais conhecida e utilizada.O hibisco tem propriedades calmantes, diuréticas, antiespasmódicas e é usado como laxante suave. Auxilia no combate aos radicais livres, age como antioxidante e ajuda a emagrecer. Além de preparada sob a forma de chá, esta flor pode ser utilizada para fazer xaropes e bebidas alcoólicas. Nas saladas, devido ao seu sabor cítrico, frutado e ligeiramente ácido, deve ser utilizada com moderação.

Também há aquelas flores de horta, como as flores de abóbora, abobrinha e chuchu, de cujas plantas a gente aproveita sempre os frutos.

Além das acima referidas, existem muitas outras flores comestíveis, apreciadas pelas suas cores e sabores característicos. É o caso do cravo, que apresenta um sabor próximo ao da cebola; da camomila, que é utilizada sobretudo para chás; e da verbena-limão, apreciada como aromatizante de aves, sobremesas, conservas e em licores franceses.

Apesar dessa grande variedade de flores comestíveis, devemos sempre conhecer muito bem a flor, pois algumas, apesar de se assemelharem a flores comestíveis, podem se tratar de flores tóxicas.

Antes de ingerir qualquer espécie de flor, é importante ter alguns cuidados. Uma correta identificação da planta é crucial. Além disso, outro ponto a considerar é que nem todas as partes das flores comestíveis podem ser ingeridas. De fato, as pétalas são as partes mais usualmente consumidas. Pelo contrário, os caules, sépalas, pistilos e estames são, em geral, removidos. Em relação ao pólen, este pode prejudicar o sabor da flor e causar alergias em alguns consumidores.

 

Por Fernanda N Landim
Nutricionista Unidade Alphaville

Confira também algumas opções de lanches saudáveis recomendadas pela nossa nutricionista>>>