No dia 20 de novembro é comemorado o Dia da Consciência Negra. A data foi estabelecida pelo projeto de lei número 10.639, em 9 de janeiro de 2003, e marcada por ser o dia da morte de Zumbi dos Palmares, último líder do Quilombo, local levantado para abrigar escravos fugitivos que viviam sob condições de maus-tratos de seus feitores na época da escravidão.

Por falar em Zumbi dos Palmares, você sabia que a população total do Quilombo chegou a atingir a marca de 20 mil habitantes, o que representava aproximadamente 15% da população do Brasil na época? A comunidade dos Palmares sobrevivia criando gado, plantando mandioca e cana-de-açúcar. Os alimentos eram distribuídos igualmente entre todos os moradores e as sobras trocadas por sal, pólvora e armas de fogo.

No ano de 1692, um ataque, sob o comando do bandeirante paulista Domingo Jorge Velho, deu início ao fim da resistência dos Palmares. Cercado por tropas militares, o Quilombo cedeu em fevereiro de 1694. Zumbi conseguiu furar o cerco e fugir, passando o ano seguinte refugiado na mata. Em novembro de 1695, seu antigo companheiro, Antônio Soares, delatou seu esconderijo e, no dia 20 de novembro de 1695, Zumbi foi preso e esquartejado pelas tropas portuguesas. Sua cabeça foi levada para Olinda e exposta publicamente.

A data representa a boa convivência inter-racial em sociedade e reivindica a figura histórica de um grande líder como símbolo de resistência, que lutou arduamente para que houvesse independência e liberdade à população negra na época.

Feliz consciência… Negra, branca, amarela, vermelha! Viva a igualdade e o respeito!