Até 6 Anos

Perto 
Autora: Natalia Colombo 
Editora: Kalandraka, 2010

O senhor Pato e o senhor Coelho são personagens que, apesar de ter suas rotinas muito parecidas e passar pelos mesmos lugares, nunca se cumprimentam e, por isso, não se conhecem. Esta é uma fábula sobre a falta de comunicação. Com simplicidade e de uma forma lúdica, a autora faz uma reflexão poética e profunda acerca das relações interpessoais e do individualismo, dos desejos e das emoções. Ao final, a autora tenta vislumbrar como seria a vida dos personagens se os mesmos fossem grandes amigos.

 

Por que ler para seu filho?

O livro Perto traz uma abordagem lúdica sobre a convivência com os amigos e as demais pessoas nos diferentes espaços que vivemos. Através dos personagens representados por dois animais tão conhecidos pelas crianças, a autora traz uma questão que intriga os pequenos, abrindo espaço para a discussão e a imaginação a partir do cenário de uma outra realidade possível. Como seria se eles brincassem juntos? Que tal fazer um desenho com o seu filho dos dois amigos brincando juntos? Natalia Colombo é ilustradora e designer gráfica. A obra Perto recebeu o Prêmio Internacional Compostela para livros infantis na Espanha, em 2008.

 

 

Ampliando o repertório! No mesmo gênero, temos o livro:

 “Você também sonha em ter um amigo?”, de Erhard Dietl.

Editora Martins Fontes, 1999.

 

 


Ensino Fundamental I

A Pedra do Meio-Dia ou Artur e Isadora 
Autor: Bráulio Tavares
Editora: Editora 34

É uma história infantil em formato de literatura de cordel. Em divertidas estrofes de seis versos, narra a trajetória de Artur, um andarilho valente que, em sua caminhada, salva a bela Isadora das garras de uma onça. Isadora precisa encontrar a Pedra do Meio-Dia para salvar seu reino, que foi enfeitiçado com um sortilégio atroz por um gigante cruel.

Por que ler para o seu filho?

É ideal para iniciar as crianças na literatura de cordel e aprender sobre as origens e as características deste gênero popular brasileiro.

Esta história de amizade, peripécias e fantasia é narrada com rimas, ritmo e muita graça. O cordel, forma tradicional de nossa literatura popular, é escrito para ser lido e contado. Feita em versos, com vocabulário acessível e estrutura rítmica cativante, a história corre como uma canção bonita. Sem nos darmos conta, a aventura já terminou e as crianças que, em geral, não estão acostumadas a narrativas em versos, querem mais, querem de novo. A Pedra do Meio-Dia foi escrito nos moldes do cordel tradicional, seguindo suas regras clássicas de métrica, rimas e temas. Assim, além de conhecer uma incrível história de aventura e fantasia, as crianças poderão entrar em contato com um de nossos gêneros literários mais ricos, vivo ainda hoje em muitas regiões do Brasil. Bráulio Tavares, autor de romances, livros de humor, compositor e redator de programas de televisão, sempre foi um estudioso e grande admirador do cordel.

 


Ensino Fundamental II

 
O Santinho
Autor: Luis Fernando Verissimo
Editora: Companhia das Letrinhas

Em  Santinho, o autor narra a história cheia de humor sobre um garoto que aparentemente servia de exemplo para toda a classe — mas, para ele, ser bem-comportado em aula não era uma decisão sua nem nada de que se orgulhasse. Era apenas o seu temperamento. A verdade é que ele era preguiçoso, nunca aprendia nada e vivia distraído. Mas, em questão de comportamento, dez. Dona Ilka era a professora que vivia no seu pé, sempre lhe lançando olhares de esguelha, certa de que ele não passava de um santinho do pau oco… Já em Conversa, rimos com as mentiras que os estudantes diziam para os porteiros, para entrar como penetra nos bailes noturnos do clube da cidade, proibidos para menores de idade.
Luis Fernando Verissimo resgata para o leitor episódios e personagens que fazem parte de uma época que todos guardam, com saudades, para sempre num cantinho da memória.

 

 


 Ensino Médio

O Dom
Autor: Vladimir Nabokov
Editora: Alfaguara

Este é um livro sobre memória, amor e literatura. Considerado por Vladimir Nabokov sua melhor obra escrita em russo — ele mesmo revisaria sua tradução para o inglês, décadas depois —, O dom condensa, com extrema virtuose estilística, o melhor de sua produção no período. Ele capta, com riqueza de detalhes, a difícil vida dos emigrados no país que lhes é hostil. Com ironia, reconstrói os círculos literários da época em que todos, por menor que fosse o grupo de escritores, tratavam-se com gentileza para, depois, criticarem-se mutuamente pelas costas. Sem dinheiro, com aspirações a se tornar um grande escritor, o poeta iniciante e sonhador Fyodor navega por esse mundo vago e sombrio. Enquanto sonha com versos, com sua juventude perdida e com o pai desaparecido anos antes, ele nos conta duas histórias de amor. Por Zina, a filha do senhorio que aluga um quarto para ele, e pela própria literatura russa, que permeia todo este grandioso romance.

 

 


 Pais 

Cartas da prisão
Autor: Frei Betto
Editora: Alfaguara
 A nova edição do livro de Frei Betto, um ícone da resistência e da luta contra a ditadura militar no Brasil, reúne uma série de cartas escritas por ele durante os quase quatro anos (1969-73) em que esteve preso. Antes editado no Brasil em dois volumes separados, com os títulos Cartas da prisão (1977) e Das catacumbas(1978), ambos pela Civilização Brasileira, o livro traz agora vinte cartas inéditas, encontradas recentemente pelo autor.

Documento histórico de suma importância, a obra retrata as duras provações a que foram submetidos os presos políticos e mostra às novas gerações o que significou a luta de jovens brasileiros pela queda da ditadura e pela redemocratização do País.