Até 6 Anos


Boa Noite, Marco

Autora: Marie-Louise Gay
Editora: Brinque-Book, 2007

Marcos não consegue dormir sem o seu cachorro Fred. Decide, então, acordar sua irmã Estela para procurar o cão.Para ajudar o irmão a dormir, Estela sugere que Marcos conte carneirinhos. Mas não tem nenhum carneirinho no quarto! E Marcos só sabe contar até três! Estela, então, especula sobre possíveis lugares onde Fred estaria: embaixo da poltrona ou dentro do armário, mas Marcos sabe que seu pequeno cachorro jamais se esconderia nesses locais. Afinal, um monstro mora dentro do armário e a poltrona se parece com um sapo gigante! Será que Marcos conseguirá dormir?


Por que ler para seu filho?

A hora de dormir tem sempre os seus mistérios para as crianças que, assim como Marcos, temem estar sozinhas nesse momento.
Em ‘Boa Noite, Marcos’, Marie-Louise Gay criou mais uma história encantadora sobre o irmãozinho mais novo de Estela.
As aquarelas delicadas da autora, cheias de humor, trazem uma riqueza de detalhes e cenários muito expressivos que complementam esta história encantadora, que permite trabalhar a segurança das crianças em relação à hora de dormir.

 

Ampliando o repertório! No mesmo gênero, temos o livro:
“O Coelhinho Insone”, de Carol Roth 
Editora: Brinque-Book, 1999

 

 

 

 

 


Ensino Fundamental I

Os oito pares de sapatos de Cinderela
Autor: José Roberto Torero e Marcus Aurelius Pimenta
Editora: Objetiva, 2012

 

O livro traz a já conhecida história de Cinderela, mas ela ficou um pouquinho diferente. Neste livro, conforme você vai lendo, pode escolher o que acontece com a pobre Cinderela. E se ao invés de sapatinhos de Cristal ela ganhasse um par de patins? Ou botas de inverno? Ou chinelos? Venha se divertir!

Por que ler para o seu filho?

Os contos de fadas ocupam lugar de destaque na literatura infantil ocidental. Por meio de suas histórias, somos transportados para lugares mágicos e secretos. Mas é importante conhecer outras versões de um mesmo clássico, ainda mais quando são versões divertidas e atualizadas.

 


Ampliando o repertório!
No mesmo gênero, temos o livro:

“Branca de Neve e as sete versões”, de José R. Torero e

Marcus A. Pimenta

Editora: Objetiva, 2011

 

 

 


Ensino Fundamental II

 Extraordinário
Autor: R. J. Palacio
Editora: Intrínseca
Ano de publicação: 2013

“Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo”. August Pullman (Extraordinário)

Não existe nome mais adequado para este livro: Extraordinário. De leitura dinâmica, prazerosa e envolvente, Extraordinário conta a história de August Pullman, o Auggie, uma criança que nasceu com uma séria síndrome genética que o deixou com deformidades faciais, fazendo com que ele passasse por diversas cirurgias e complicações médicas ao longo dos seus poucos anos de vida. Auggie foi educado em casa até os 10 anos, quando começou a frequentar o quinto ano em uma escola de verdade. Ser um aluno novo não é fácil, mas com um rosto tão diferente pode ser ainda mais difícil! Auggie vai ter que convencer seus colegas do colégio particular de Nova York que, apesar de sua aparência diferente, ele é um menino igual a todos os outros.

 


 Ensino Médio


A relíquia

Autor: Eça de Queirós
Editora: Ateliê Editorial

Ano de publicação: 2001

“Sobre a nudez forte da verdade, o manto diáfano da fantasia”. Essa é a fórmula que Eça de Queirós aplica, em A Relíquia, contra o cientificismo de sua época. O autor narra a saga de portugueses que, em pleno século XIX, vão a Jerusalém para resgatar um objeto de tempos bíblicos. Por meio da ironia e do humor, o romance excede os limites da análise social e instaura uma imaginação crítica. Na apresentação, Fernando Couto, mestre pela Unicamp, analisa o cenário social em que Eça viveu e escreveu.

 

 

 


 Pais 

O pianista
Autor: Wladyslaw Szpilman
Editora: Bestbolso
A
no de publicação: 1999

Considerado um dos melhores livros de 1999, O pianista, de Wladislaw Szpilman, conta a história de um judeu que viveu – e sobreviveu – ao gueto de Varsóvia, de 1942 a 1945. Um documento histórico e humano de uma das maiores tragédias do século XX, que inspirou o filme homônimo de Roman Polanski. Publicado originalmente na Polônia, em 1946, esta obra-prima ficou injustamente esquecida até o final dos anos 90, quando foi traduzida para o inglês e adaptada para o cinema por Polanski, que transformou a obra em um belo filme – que Szpilman, morto em 2000, infelizmente não chegou a assistir.
Esta edição brasileira, traduzida direto do polonês, preserva cada detalhe e atmosfera originais do livro. O pianista é uma raridade. Poucos sobreviveram para narrar o horror da guerra e Szpilman está entre eles. Escrito de forma vívida e realista, imediatamente após a experiência do autor no gueto, O pianista revela uma história de esperança, sofrimento e vitória.