Em meio às descobertas e experiências vividas dentro e fora da universidade, Cauê nos conta sobre um momento particularmente especial vivido no último mês: encontrar um amigo querido do Pentágono durante a viagem. Nesta edição do diário do Cauê, a amizade e as conexões são o assunto principal. Os laços construídos no Pentágono dão frutos para a vida inteira.

Mesmo em um ambiente competitivo de busca pelos melhores resultados, a amizade e o companheirismo florescem e o senso de colaboração e de equipe, construído no colégio, se torna parte fundamental da vida dos alunos. É sobre isso que Cauê, que acaba de encontrar em Nova Iorque o Igor, um colega de sala do Pentágono e amigo desde a quinta série, que visitava o país enquanto buscava um MBA para o futuro, reflete sobre.

Mesmo seguindo caminhos tão diferentes após o Ensino Médio, com Cauê cursando medicina e Igor na área de negócios, o laço que foi criado entre os dois se manteve forte. “O Pentágono é um colégio que sempre valorizou essas conexões criadas entre os alunos.”, conta. “A gente aprendeu a trabalhar o lado interpessoal de uma forma muito bacana e essa é uma competência que, com certeza, nos dias de hoje, nos será cobrada, não importa em qual área vamos atuar.” Os amigos que fez e as conexões que criou no Pentágono foram, sem dúvidas, essenciais para que Cauê se tornasse a pessoa que é hoje e, quem sabe, no futuro, tomar rumos diferentes em sua vida profissional. “A gente nunca sabe o dia de amanhã, para onde a nossa carreira vai se direcionar, hoje eu estudo medicina, e ele quer fazer um MBA, a gente pode trocar figurinhas e talvez no futuro acabar trabalhando juntos, nunca se sabe”. Igor já voltou para o Brasil, mas Cauê segue vivendo o intercâmbio de forma intensa.

Nós vamos continuar acompanhando a sua jornada no exterior na página do Pentágono>>>